Wisteria sinensis

glicínia

Considerada tolerante à sombra, floresce mais e melhor quando exposta ao sol. A glicínia é um género de leguminosas que compreende por volta de 10 espécies nativas da China, Coreia, Japão e Estados Unidos. São muito populares para a formação de pérgulas, onde luzem melhor por causa de seus racimos florais pendentes e perfumados. Prefere solos úmidos, mas bem drenados. Foi levada desde China a Europa em 1816, pelo capitão Welbank depois de ter sido convidado por um rico comerciante de Cantão a jantar sob um pergolado florido. Encantado com a wistéria, que em grego significa planta doce, foi presenteado com algumas mudas, que deu por sua vez a um amigo que morava em Surrey, Inglaterra, onde depois de três anos floresceram com sucesso tal que, rapidamente, se tornou a planta de moda em todo o continente europeu, de onde foi levada mais tarde aos Estados Unidos. Alguns pássaros, principalmente pardais, comem os brotos novos prejudicando a floração. É tolerante às podas, que devem ser feitas sempre depois da floração.

Uma curiosidade botânica, que não sei explicar, é que os ramos se retorcem sempre em sentido horário, quando sobem abraçando um pilar ou coluna. Entretanto isto acontece no Hemisfério Sul, mas no Hemisfério Norte, esses mesmos ramos, giram em sentido anti-horário. A justificação cientifica é que isto se deve a rotação da Terra, mas para mim, um simples paisagista, continua sendo um enigma incompreensível.

Confira a ficha completa na Biblioteca de Espécies.

Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *