O incrível colorido das sapucaias

Nestes meses de primavera as floradas são abundantes, mas a singularidade do Lecythis pisonis, como é classificada cientificamente, é realmente notável


Sapucaia (Lecythis pisonis)

Em outubro, nas matas úmidas e densas, desde o Ceará ao Rio de Janeiro, sua brotação cor de rosa se mistura com as flores roxo-violáceas transformando sua copa globosa e densa em um gigantesco buquê ton sur ton. Destaca-se na Zona da Mata e às margens dos rios São Francisco, Jaguaribe, Piranhas-Açú, Capibaribe, Acaraú, Curimataú, Mundaú, Paraíba, Itapecuru, Mearim e Una, na regão nordeste e nos rios Doce, Itapemirim, Itaúnas, Jucu, São Mateus, Paraíba do Sul e Itabapoana, no Espirito Santo e Rio de Janeiro, entre outros.
 

O show, que a natureza dá dura até o final deste mês e em novembro, já sem flores, a folhagem mostra-se verde misturando-se de forma discreta com as outras árvores. A caçamba-do-mato, como também é conhecida, pertence a família das lecitidáceas, como o jequitibá e a castanha-do-pará, além de outras trezentas espécies de plantas lenhosas. Depois dessa cena o espetáculo continua, com a árvore exibindo seus frutos que guardam entre seis a doze castanhas muito gostosas que, infelizmente, não são comercializadas por causa da baixa produção e pelos ávidos macacos-sauá que fazem de tudo para consegui-las. Eles torcem as cumbucas, ainda fechadas como se fossem arrancá-las para apressar a maturação e quando estes frutos começam a abrir se, batem um contra o outro para que as castanhas se soltem. Os caboclos contam que esses macaquinhos que pesam mais ou menos um quilo e são hábeis saltadores, raramente enfiam a mão dentro da cumbuca, temendo prende-la dentro, quando estiver fechada e cheia das castanhas. Daí o velho ditado "macaco velho não põe a mão em cumbuca".


Fruto da sapucaia

Vale a pena cultivá-la, mesmo sabendo que demora mais ou menos oito anos para florir. A pleno sol não ultrapassa 12 metros de altura. Contudo, no interior da floresta, podem ser vistos exemplares de mais de 30 metros. Os paisagistas devem estar atentos para plantá-la em solos ricos e muito bem irrigados, respeitando o fato de que a sapucaia não suporta frio. Como seus frutos são pesados é prudente que se desenvolva longe de caminhos e telhados, evitando acidentes, mesmo porque a melhor forma de contemplá-la é a certa distância e fazendo parte de um agrupamento constituído por outras árvores, com estruturas e tonalidades diversas.

É de se admirar que esta árvore não faça parte importante dos projetos paisagísticos, já que a magnificência de sua copa não encontra matizes similares nos trópicos.

Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *