Árvores que absorvem poluentes

Recomendamos, nesse texto, o plantio de espécies de árvores que ajudam no controle da poluição, sequestrando carbono. São espécies pioneiras rústicas, ou secundárias iniciais, aptas no combate aos poluentes.

Estas árvores têm boa capacidade de retenção do dióxido de carbono (CO2) que, por intermédio da fotossíntese das folhas, é transformado em oxigênio, diminuindo o efeito estufa. As 50 espécies selecionadas, com exceção da Tabebuia pentaphylla, cuja origem é centro-americana, são nativas do Brasil.

 

As imagens mostram algumas dessas espécies. Na tabela, no fim do post, você tem acesso à lista completa.

Pterocarpus violaceus, aldrago

Erythrina speciosa, eritrina-candelabro

Todas reúnem características morfológicas que as habilitam na retenção das poeiras, ocasionadas pelo excesso de veículos: folhas grandes, como as do tamanqueiro; de crescimento rapidíssimo, como as embaúbas; indiferentes aos solos encharcados e contaminados, como a eritrina-candelabro; ou a solos pobríssimos e pedregosos, como é o caso do belo jacarandá-bico-de-pato. Algumas são campeãs: o jatobá, segundo o professor Marcos Buckeridge, pesquisador do departamento de botânica do Instituto de Biociências da USP, é um verdadeiro “faxineiro do ar”.

Schizolobium parahyba, guapuruvú

 

Tabebuia chrysotricha, ipê-amarelo-cascudo

Contudo, elas sozinhas não realizam milagres. Ao planejar um bosque, ou a arborização de uma rua, deve se levar em conta, além dos aspectos climáticos: o porte, o diâmetro da copa, o tipo de raízes, o caráter da folhagem, a estrutura e a forma da árvore, a densidade da copa, a velocidade de crescimento e a longevidade da espécie.

 

 

Tabebuia roseo alba, ipê-branco

Tabebuia impetiginosa, ipê-roxo-de-bola

Machaerium aculeatum, jacarandá-bico-de-pato

 

Hymenaea courbaril, jatobá

 

Tibouchina mutabilis, manacá-da-serra

 

Senna macranthera, manduirana

Bauhinia forficata, pata-de-vaca
 

Vochysia tucanorum, rabo-de-tucano
 

É importante também, usar essências nativas da região, por serem mais resistentes e melhor sintonizadas com o bioma.
 
 

NOME BOTÂNICONOME POPULARALTURAFLORÉPOCA DE
FLORAÇÃO
Aegiphila sellowiana tamanqueiro
4 a 7 mCreme

Verão

Alchornea glandulosacanela-raposa 10 a 20 mCreme

Inverno

Alchornea triplinervia tapiá
15 a 30 mCreme

Primavera

Allophylus edulis chal-chal
6 a 10 mBranca

Primavera

Bauhinia forficata pata-de-vaca
5 a 9 mBranca

Verão

Caesalpinia peltophoroides sibipiruna
8 a 16 mAmarela

Primavera

Campomanesia guazumaefolia sete-capotes
3 a 8 mBranca

Primavera

Capsicodendron dinisii pimenteira
10 a 20 m –

Primavera

Casearia sylvestris guaçatonga
4 a 6 mCreme

Inverno

Cássia-leptophylla falso-barbatimão
8 a 10 mAmarela

Verão

Cupania vernales camboatá-vermelho
10 a 22 mAmarelada

Outono

Cecropia pachystachya embauba
4 a 7 mInexpressiva

Inexpressiva

Cecropia hololeuca embaúba-prateada
6 a 7 mInexpressiva

Inexpressiva

Combretum leprosum carne-de-vaca
10 a 15 mCreme

Primavera

Coussapoa microcarpa figueira-preta
8 a 15 mInexpressiva

Inexpressiva

Dalbergia nigra jacarandá-da-bahia
15 a 25 mCreme

Primavera

Erythrina speciosa eritrina-candeabro
3 a 5 mVermelha

Inverno

Erythroxylum argentinum cocão
5 a 7 mCreme

Primavera

Gochnatia polymorpha cambará-de-folha-grande
6 a 8 mCreme

Primavera

Hyptidendron asperrimum catinga de bode
4 a 8 mAzul

Primavera

Hymenaea courbaril jatobá
15 a 20 mBranca

Primavera

Jacarandá micrantha caroba
10 a 25 mRoxa

Primavera

Luehea paniculata açoita-cavalo
6 a 12 mBranca

Inverno

Machaerium aculeatum jacarandá-bico-de-pato
6 a 12 mViolácea

Verão

Ocotea puberula guaicá
15 a 25 mVerde

Inverno

Piptadenia gonoacantha pau-jacaré
10 a 20 mAmarelada

Primavera

Piptocarpha angustifolia vassourão-branco
15 a 25 mBranco

Primavera

Piptocarpha rotundifolia candeia
4 a 8 mBranca

Inverno

Psidium cattleianum araçá
3 a 6 mCreme

Inverno e
Primavera

Psidium guajava goiabeira
3 a 6 mBranca

Primavera

Pterocarpus violaceus aldrago
8 a 14 mAmarela

Primavera

Qualea multiflora cinzeiro
4 a 6 mBranca

Primavera

Rapanea ferruginea copororoca
6 a 12 mCreme

Outono

Schinus terebinthifolius aroeira-mansa
5 a 10 mCreme

Setembro

Sebastiania commersoniana branquilho
5 a 12 mAmarela

Primavera

Senna macranthera manduirana
6 a 8 mAmarela

Verão

Senna multijuga pau-cigarra
6 a 10 mAmarela

Verão

Schizolobium parahyba guapuruvú
20 a 30 mAmarela

Primavera

Tabebuia chrysotricha ipê-amarelo-cascudo
4 a 10 mAmarela

Inverno

Tabebuia impetiginosa ipê-roxo-de-bola
8 a 12 mRosa

Inverno

Tabebuia pentaphylla ipê-rosa-bálsamo
20 a 25 mRosa

Inverno

Tabebuia róseo alba ipê-branco
7 a 16 mBranco

Primavera

Tibouchina mutabilis manacá-da-serra
7 a 12 mRoxa

Verão

Tibouchina candolleana quaresmeira-da-serra
4 a 6 mRosa

Inverno

Tibouchina granulosa quaresmeira
8 a 12 mRoxa

Inverno

Trema micrantha grandiúva
5 a 12 mCreme

Primavera

Vernonia discolor vassourão-preto
10 a 15 mBranca

Inverno

Vitex montevidensis tarumã
5 a 20 mRósea

Primavera

Vochysia tucanorum rabo-de-tucano
8 a 12 mAmarela

Primavera e
Verão

Xylopia aromatica pimenta-de-macaco
4 a 6 m mBranca

Primavera

 Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *