Cravina, uma espécie para amar

Cravina, uma espécie para amar

A Dianthus chinensis, também conhecida como cravina, cravo, cravinhas, cravo-do-poeta e cravo-da-China, é originária da Ásia e Europa. Muito perfumada, é uma planta com uma grande diversidade de cores, principalmente tons de rosa, branco e vermelho.

A cravina é uma plantinha muito fácil de cuidar, resistente e duradoura, sendo uma boa pedida para jardineiros de primeira viagem. Ela pode atingir até 50 centímetros, podendo ser plantada tanto em canteiros como em vasos.

Como cultivar a cravina?

O lugar adequado para que ela se desenvolva precisa conter uma terra bem adubada e com areia grossa. O seu plantio pode ser através de mudas, utilizando seus caules e raízes, ou sementes, que podem demorar de 3 a 5 semanas para germinarem.

Em regiões de clima frio, sua floração acontece principalmente no fim da primavera e no verão. Já em locais com inverno ameno, pode florescer durante o ano todo.

Qual a rega e a luminosidade ideal para a cravina?

Seu solo deve ser levemente úmido, assim você pode fazer a rega sempre que notar que a terra está começando a ficar seca. A espécie normalmente gosta de exposição solar ou lugares bem iluminados. No entanto, tome cuidado para não deixar no sol por tempo demais!

Quando as flores da cravina estiverem murchas, tire-as com cuidado, assim você incentiva seu crescimento e evita que caiam sementes.

Uma curiosidade sobre essa planta é que ela é comestível! Pode ser consumida fresca ou em pratos doces e salgados. Além disso, é utilizada como aromatizante em vinhos e vinagres.

E aí, gostou de saber um pouco mais sobre a cravina? Se você ficou com alguma dúvida, comente e fique de olho no portal Jardim das Ideias STIHL para conferir mais dicas sobre diferentes espécies.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *