Beija-flor

Eles são pequenos, para alguns passam despercebidos, porém para os que atentam para a presença destas aves a beleza é algo indescritível. O beija-flor, também conhecido como colibri, chupa-flor, chupa-mel e pica-flor. No Brasil existem hoje 322 espécies conhecidas, a maioria delas é tropical e subtropical. A maior biodiversidade do grupo encontra-se no Brasil e Equador, que contam com aproximadamente metade das espécies conhecidas.

Medindo entre 6 e 12 centímentos e pesando apenas de duas a seis gramas o beija-flor tem como característica seu bico longo, mas o formato do mesmo varia de espécie para espécie, pois ele está adaptado ao formato da flor que constitui a base da alimentação de cada beija-flor. Outra característica, pouco perceptível à distância, é a língua bifurcada e extensível, usada para extrair o néctar das flores.
São as únicas aves capazes de voar em marcha-ré e de permanecer paradas no ar. Com voos rápidos e extremamente ágil eles podem bater as asas de setenta a oitenta vezes por segundo.

A energia gasta com o esvoaçar constante é suprida com o néctar das flores visitadas, que é altamente energético – contendo cerca de vinte por cento de açúcares, sendo que a quantidade de néctar disponível varia com o tamanho e tipo de flor. Normalmente o beija-flor prefere flores tubulosas de cores vivas, como vermelho e alaranjado. E estas visitas para sugar o néctar das flores transformam o beija-flor em um agente polinizador das plantas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *