Cultivando rosas

Símbolo universal do amor, a rosa requer alguns cuidados específicos para que possam crescer e florescer. Conheça mais sobre esta linda flor:
Temperatura
Rosas não foram feitas para resistir a temperaturas extremas, elas se adaptam bem a temperaturas entre 17° C e 25° C. Enquanto o calor adianta o florescimento, o frio atrasa. As rosas também demandam a exposição diária à luz solar direta por cerca de seis horas, portanto, faça a escolha do local conforme a abundância de iluminação natural.
Solo
Boa drenagem e matéria orgânica abundante são dois requisitos indispensáveis para o cultivo da roseira. Recomenda-se a mistura de 40% de húmus, 40% de terra orgânica e 20% de areia. As covas devem ter, em média, 30 cm de profundidade. Caso a opção seja cultivá-la em um vaso, a dica é proteger o fundo com pedrinhas e/ou um pedaço de geomanta, para melhorar a drenagem.
Rega
As rosas devem ser regadas sempre junto à base do caule. O hábito de molhar flores e folhas favorece o aparecimento de fungos, um dos maiores problemas para as roseiras. A irrigação diária, após o plantio das mudas e até a primeira florada, é recomendável. Depois desse período, basta molhar a planta uma vez por semana no inverno e duas vezes por semana no verão. O período mais adequado para a irrigação é pela manhã, bem cedinho.
Poda
Certifique-se que a tesoura de poda esteja bem afiada. Caso ela não esteja, irá mastigar os galhos, o que danifica a planta e influencia em sua saúde. Sempre que as rosas murcharem, deve-se cortar os galhos para estimular uma nova floração. Esta poda de limpeza pode ocorrer a qualquer momento, sempre que houver necessidade. O corte deve ser feito sempre três folhas abaixo da flor ou da folha que está murcha, fortalecendo, assim, o ramo.
Você possui rosas em casa? Conte-nos sua experiência nos comentários, vamos adorar ouvir suas histórias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *