A mãe de todas as mães


Não, não é um concurso para eleger a mulher que deu à luz mais filhos, nem a mais desvelada, nem sequer a genitora perfeita. Hoje preciso e quero venerar aquela de cujo útero surgiu à própria vida: A PACHAMAMA.
Os aymarás, os quéchuas e outros povos das regiões andinas do Equador, Peru, Bolívia e noroeste da Argentina, acreditam que esta divindade, que os protege e gera toda forma de vida, é a Pachamama. Ela, e só ela, promove a fertilidade e a fecundidade da terra, verdadeiro inicio de tudo aquilo que palpita neste planeta.
As nações primitivas atribuíam a suas deusas o milagre de engendrar a existência das coisas e dos seres vivos. Os astecas batizaram a Mãe-Terra de Teteoinnan, dela nasceram todos os deuses, inclusive Xochiquetzal (flor bela), uma Mãe-Terra jovem que regia o amor e a gravidez e que era representada no meio de flores, no México Central. Na religião Puebla, entre os índios do sudeste norte-americano, os Kachinas eram seres divinos que atendiam as súplicas dos necessitados e a Mãe-Terra era relevante, porque dela dependia a sobrevivência desse povo. Bem longe, na Polinésia, a Mãe-Terra é invocada pelo nome de Papa; ela junto a Rangi o Pai-do-Ceu, dá origem à raça humana.
Pachamama (Pacha = universo, tempo, mundo, lugar e Mama = mãe) fecunda o barro que irá transformar se em alimento; os fieis ao se culto praticam o “challaco”, challar significa dar de comer e beber a terra; isso é feito na primeira sexta feira de cada mês, quando cozinham a tijtincha, uma comida especial, que é dada com chicha, para alimentar um olho d’água. Acredita se que ela, que é a deidade máxima desses povos, irá desse modo retribuir seus filhos com fartura.
Domingo celebramos o dia das mães. Minha homenagem é feita a essa Mãe-Terra esquecida e maltratada pelos milhões de filhos que surgiram de seu ventre. Espero que nos, mulheres e homens civilizados, possamos buscar inspiração naquelas culturas primárias, que nunca se esqueceram dela. Quem sabe, algum dia, se comemore sua data retribuindo com um pouco do amor tudo o que ela nos tem dado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *