Frutíferas brasileiras

Frutíferas brasileiras

O que era comum apenas em chácaras e fazendas está invadindo o ambiente urbano: espécies de árvores frutíferas se popularizaram nas cidades e são contempladas em varandas e quintais. Algumas das mais conhecidas são a jabuticabeira, o limoeiro, a pitangueira e amoreira.

Para quem deseja tê-las em vaso ou no canteiro é preciso tomar alguns cuidado: se o espaço for pequeno, mesmo as espécies menores vão necessitar de profundidade suficiente para que as raízes se desenvolvam bem. É muito importante lembrar que para que todas fiquem saudáveis e deem mais frutos, é essencial o sol.

Leia mais sobre algumas das espécies frutíferas brasileiras:

Jabuticabeira (Myrciaria cauliflora): é o tipo de frutífera que se desenvolve melhor em ambientes frios, inclusive resiste à geadas. Para plantar diretamente no solo, considere o tamanho da árvore adulta, que chega até dez metros de altura. Já em vaso, o crescimento chega até dois metros, sendo uma ótima opção para pequenos espaços como varandas. Escolha um recipiente com no mínimo 50 cm de boca e 50 cm de altura. Durante o verão, as regas devem ser diárias, para que a terra esteja sempre fresca. Apesar de resiste, a jabuticabeira sofre e corre risco de morte se mantida na sombra. Portanto, deixe-a no sol.

Pitangueira (Eugenia uniflora): a pitanga tem nome de origem tupi e significa vermelho-rubro, uma alusão à cor dos frutos maduros. A espécie é genuinamente brasileira e se desenvolve bem em clima quente e úmido. Utilizada em paisagismo, contribui para a arborização de terraços e cresce até dois metros se cultivada em vasos de diâmetro generosos. Para ter uma boa frutificação é essencial que a planta receba bastante sol e regas diárias, para saber a quantidade certa de água sempre verifique o solo.

Amoreira (Morus nigra): espécie de fácil adaptação, mas é sensível à falta de umidade, por isso deve receber água duas vezes por semana. Pode ser cultivada no quintal de casa através de mudas. Se plantada à sombra, cresce a procura de luz, e por esse motivo, requer podas frequentes. Em vasos, atinge 3 metros de altura e dá frutos em cerca de um ano e meio após o plantio.

Gostou das dicas? Esperamos que sim. Agora você já pode começar a colocar as ideias em ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *