Dicas para uma boa integração das árvores com o ambiente urbano

A falta de arborização transforma as grandes cidades em ilhas de calor. Mais que embelezar, as árvores contribuem com importantes serviços naturais para o ambiente, como redução da poluição do ar, interceptação da água de chuva, estabilização da temperatura, redução do ruído e melhorias no bem estar psicológico e físico. Confira algumas dicas: 
Como escolher? O ideal é optar por espécies com até 10 metros de altura, e de preferência, nativas.  Quando espécie é própria da região, a adaptação é mais fácil. 
Espécies recomendáveis:
• Marinheiro (Trichilia cathartica). Tem altura média de quatro a seis metros e floração entre os meses de maio e julho.
• Quaresmeira (Tibouchina granulosa). Sua altura varia de oito a doze metros. As flores roxas ou rosadas costumam aparecer entre os meses de janeiro e abril e também entre junho e agosto.
• Ipê amarelo (Tabebuia serratifolia) natural da Mata Atântica, é conhecido como pau d’arco, atinge até 20 metros, cresce lentamente e tem floração na primavera.
• Manacá-da-Serra (Tibouchina mutabilis) pode chegar alcançar até 12 metros e é excelente para a arborização urbana. É uma árvore pioneira da Mata Atlântica brasileira. A floração ocorre no inverno. 
Como plantar?
1. Plante a semente em um saco plástico com substrato;
2. Durante 90 dias, regue diariamente – tempo necessário para a semente germinar;
3. Depois da germinação, aguarde mais 120 dias transplantar para o solo;
4. No solo, faça uma cova de 40 X 40 centímetros de diâmetro e 20 de profundidade: ela não deve ficar nem muito funda e nem superficial;
5. Depois da muda ser transplantada, durante seis meses é necessário adubar com substrato e regar diariamente: o melhor horário para a rega é durante a manhã ou no final da tarde.
Gostou das dicas? Acompanhe a página Jardim das Ideias, basta curtir a página. Até o próximo post. 
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *