Conheça plantas que ajudam a filtrar água

Nós sempre falamos aqui no blog sobre como as plantas
embelezam os jardins e também de seus benefícios para saúde humana. Mas o que
pouca gente sabe é que algumas espécies são capazes de ajudar a filtrar água
contaminada. Esse processo chamado de fitorremediação consiste basicamente no
uso de plantas para ajudar a diminuir a poluição de solos, águas e até mesmo do
ar. Vamos conhecer um pouco mais sobre esse processo?


A fitorremediação acontece quando algumas plantas absorvem
elementos poluentes do ambiente através das raízes. Esse processo além de ser uma forma não poluente tem baixo custo para
remover ou estabilizar substâncias tóxicas, porém deve ser utilizado em locais onde os níveis de contaminação são baixos porque o método é
mais lento do que os demais e altas concentrações podem limitar o crescimento
das plantas.

Para
a descontaminação da água, podem ser usadas espécies como o junco e o lírio-do-campo.
Confira mais algumas outras opções:

Aguapé: planta aquática com raízes longas e finas, repletas
de bactérias e fungos que atuam sobre as moléculas tóxicas da água, quebrando
sua estrutura e permitindo que a planta assimile os componentes tóxicos.

Alface d’água: devido a sua grande quantidade de nutrientes
orgânicos, pode converter a água em tratamento.

Lentilha d’água: planta aquática capaz de reduzir de 15% a
20% a carga orgânica do esgoto doméstico, é utilizada em estações de tratamento
nos Estados Unidos, China, índia e Austrália.

Moringa: pesquisas comprovaram que esta espécie pode reduzir
em até 98% dos coliformes fecais em águas barrentas.

Taboa: consegue remediar águas acometidas por resíduos
orgânicos vindo do esgoto.


Entretanto, vale ressaltar que a água mesmo que tratada pelas
plantas não volta a ser potável e, por isso, não deve entrar em contato com
vegetais comestíveis. Caso você opte por esse método, é bom contar com ajuda de
um profissional que vai lhe indicar as melhores espécies para cada caso. Ficou
com alguma dúvida? Deixe teu comentário aqui embaixo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *