Viveiro de mudas para jardim

Ultimamente os paisagistas têm visitado pouco os produtores de plantas ornamentais

 É uma pena, porque somente nesses locais onde são produzidos árvores, arbustos e outros tipos de plantas, para uso paisagístico, é que se tem noção do desenvolvimento delas. Sei que os Ceasas são práticos e economizam tempo, mas imaginaram se os bons chefs de cozinha comprassem os produtos com que recheiam seus cardápios no supermercado mais próximo? Esse pessoal corre muito atrás de iguarias incomuns para deslumbrar seus clientes, não é com arroz e feijão (embora deliciosos no cotidiano) que vão destacar seus restaurantes. E é natural, ninguém sai de casa para comer um “comercial” ou um “PF” a não ser, claro, por uma necessidade, mas não pelo prazer de um jantar gostoso com alguém especial.


Clitoria fairchildiana

Do mesmo modo quando o paisagista é solicitado, o cliente sonha com ideias originais, plantas diferentes, enfim, um jardim incomum. Senão seria simples, ele mesmo iria ao Ceasa ou ao garden center mais perto e, com a ajuda de um jardineiro, faria seu paisagismo, com resultados bastante parecidos.


Kigelia pinnata (árvore-de-salsicha)

Por isso da mesma forma que um chef “garimpa” os manjares nos mercados, nos empórios, nas adegas, nas granjas de criação, no porto de peixes e junto aos produtores de verduras e legumes frescos, o paisagista precisa conhecer de perto a origem da matéria prima com que trabalha, deve seguir o rastro da muda até chegar ao homem que a cultiva para descobrir todos os truques da espécie, saber como usá-la, quais as necessidades dela, perseguir todas aquelas ciências que só ele sabe, porque aqui entre nós, você acha que nesse garden center ou no Ceasa o homem que atende foi instruído para lhe dar todas as informações necessárias, como por exemplo se a planta precisa sol ou, pelo contrário se só cresce bem na sombra, qual é altura que alcança, a época da florada, como adubá-la? É claro que não!


Banksia integrifolia

Geralmente são simples motoristas de caminhões, vendedores e até revendedores que ignoram como a muda chegou a esse momento que é o da venda, e aí você colhendo os dados com ele, terá dores de cabeça mais tarde.

Isso motivou o passeio que organizei para o sábado 28, quando farei um workshop no Meio Ambiente – Viveiro Florestal, em Campo Limpo Paulista. Lá são cultivadas mais de 200 espécies, muitas delas raras e ausentes em outros hortos e com preços de produtor.


Raul Cânovas e Vera Monteiro organizando o evento

Idealizamos para esse dia uma capacitação profissional que abordará assuntos como plantio, adubação orgânica, podas, etc. Um dia diferente para tirar um montão de dúvidas.

O evento será no sábado dia 28 de maio, saindo de São Paulo às 8hs e regressando às 18hs. Mais informações você encontra na nossa PÁGINA DE EVENTOS e no meu site: www.raulcanovas.com.br.

Autor: Raul Cânovas
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *