Tombado o Jardim da Orla de Santos

A imensa área verde que emoldura as praias santistas é convertida em patrimônio histórico


 
Em 2003 o Guiness Book (Livro dos Recordes) declarava que o jardim da orla de Santos era o maior jardim praiano do mundo. Entretanto esse título não bastava, Os 218.000 m²sup2; de área verde, precisavam ser preservados de qualquer cobiça especulativa. Mesmo porque o projeto original, do engenheiro Saturnino de Brito, perdeu, por causa da duplicação da avenida da praia, mais de 15 Km². Nessa época, década de 1920, a proposta era a de uma “Cidade Jardim”, entretanto optaram por um traçado linear que, por fim, foi corrigido em 1960, pelo engenheiro Armando Martins Clemente, que lhe deu a atual forma orgânica.

Nos 719 canteiros há 21 espécies diferentes de palmeiras, com quase mil exemplares e centenas de chapéus-de-sol, filtrando o sol forte, em um percurso de mais de 5 km. Tudo isto é arrematado por maciços de flores e folhagem coloridas, que formam um enorme tapete.
Acompanho essa paisagem desde finais da década de 1960 e fico feliz com a decisão do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat) há duas semanas. No final das contas, é um modelo de conservação e uma aula de paisagismo litorâneo.

Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *