Syzygium malaccense

jambo-vermelho, jambo-da-índia, jambeiro-de-malaca, jambo-chá, ameixa-rosa

Nem precisava sortir-nos com seus frutos doces e carnudos, em forma de pera; suas flores, de per si, seriam suficientes para escolher esta árvore que fornece excelente sombra e que, apesar de exótica, é muito cultivada nas regiões de clima quente e úmido, especialmente no norte do Brasil e, também, ao longo do trópicos, incluindo muitos do Caribe, como Costa Rica, Jamaica, Porto Rico, Suriname, República Dominicana, Honduras , Guiana e Trinidad e Tobago, países onde é plantada até 600 metros acima do nível do mar.

Como escreveu o poeta Soares de Azevedo:
“Desprende o jambo vermelho
do solo por sobre o espelho
o seu tapete grácil,
espalhado pelo vento,
cheio de graça e alento…
e, para que o chão se cubra
Do pólen de flores mil…”

Pois é, se não bastasse, o fruto ficou notabilizado pelo bordão “morena cor de jambo”. Os pássaros, que fazem ninhos, na sua copa adoram. Desenvolve em solos ácidos, arenosos ou barrentos desde que bem drenados. Não suporta geadas.

Confira a ficha completa na Biblioteca de Espécies.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *