Sangue de Dragão, a árvore que sangra

Encontrada na região norte do Amazonas, na Amazônia Peruana, no Equador e na Colômbia a Croton lechleri, popularmente conhecida como Sangue de Dragão, pertence à família Euphorbiaceae, e tem uma característica que a destaca entre as demais árvores: ela ‘sangra’.

Na realidade este ‘sangue’ é uma resina que a árvore produz ao ser cortada ou ferida. Esta resina, de cor avermelhada, serve para cicatrizar a ferida da árvore e também evita que ela seja atacada por insetos ou pragas. Outros nomes dados à árvore são: Sangue de Dragoeiro e Sangue de Drago.

Além de servir para proteção da planta a seiva do Sangue de Dragão também é usada por humanos e teve comprovado por pesquisas seus poderes: antioxidante, adstringente e rejuvenecedor, ativando o sistema imunológico. Serve ainda como tonificante, cicatrizante, anti-inflamatórios, anti-fungos e anti-viral.

Na natureza a árvore tem porte médio a grande, podendo alcançar até 20h de altura. Embora alta seu troco normalmente é fino, medindo menos de 30 centímetros de diâmetro e é coberto por uma casca lisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *