Pilea glauca: dicas e cuidados para o seu cultivo

Pilea glauca: dicas e cuidados para o seu cultivo

Se você é apaixonado por uma urban jungle, vai adorar saber um pouco mais sobre essa plantinha para dentro de casa: a Pilea – o maior gênero da família Urticaceae que conta com mais de 600 espécies espalhadas pelo mundo. Afinal, por que ter apenas uma, se é possível ter 600? No post de hoje, vamos falar mais precisamente sobre a espécie Pilea glauca. Por isso, continue lendo para saber mais sobre ela e os cuidados que ela precisa.

Pilea glauca

A Pilea glauca é uma planta para o interior da casa. Bastante versátil, ela pode ser cultivada tanto num terrário como em um vaso. Embora ela se adapte bem ao clima tropical, a Pilea glauca é nativa de locais onde faz mais frio, como Argentina, Uruguai, Bolívia e Paraguai. Ela possui um efeito pendente com folhas bem delicadas e um caule vermelho. Além disso, pequenos cachos de flores brancas costumam aparecer no meio do caule e podem durar vários dias.

Como plantar

Se você deseja cultivar essa planta, saiba que ela precisa de um solo bem drenado para que a água não acumule no fundo do vaso. Uma dica interessante é misturar a terra vegetal com pequenos pedaços de pinus quebrado. Após algum tempo, adicionar húmus de minhoca como adubo também é uma boa pedida, já que o húmus é uma substância que confere nutrição de qualidade para as plantas.

Como cuidar: qual o melhor clima e como fazer as regas

Por ser originária de locais mais frios, a Pilea glauca prefere ambientes mais frescos e ventilados. Além disso, ela requer uma temperatura constante e um espaço bem iluminado, porém sem sol direto. A rega deve ser moderada, ou seja, o solo não pode estar completamente seco nem muito aquoso.

Uma dica importante, especialmente durante os meses mais quentes, é borrifar água sobre as folhas, de duas a três vezes por semana, para ajudar na sua hidratação.

A Pilea glauca é tóxica?

Se você tem pets em casa, saiba que a Pilea glauca não é uma planta tóxica e, por isso, não representa nenhum perigo para os seus bichinhos!

Gostou de saber mais sobre os cuidados com essa planta? Não se esqueça de curtir e compartilhar. Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *