O jequitibá-rosa

Imagino que vocês já devem ter ouvido falar do Parque das Sequoias, nos Estados Unidos

 

Nessa região crescem estas árvores da família das Cupressaceae, classificadas pelos botânicos como Sequoia sempervirens. Vivem milênios e podem ultrapassar os 100 metros de altura, com alguns metros de circunferência de seus troncos avermelhados.


Tronco de sequóia

Não há dúvidas de que são fantásticas pelo seu gigantismo e muitos brasileiros, de turismo, passaram por lá para admirá-las. Mas fico um pouco decepcionado quando essas mesmas pessoas que foram a Califórnia ou contemplaram essas sequoias em fotos ou filmes, revelam um total desconhecimento de nossos jequitibás, em especial aquele que há centenas de anos vive no município de Santa Rita de Passa Quatro, em São Paulo.


Jequitibá-rosa de Vassununga

Na Reserva Florestal de Vassununga, existe um exemplar de jequitibá-rosa com 50 metros de altura que, para ser abraçado, são necessárias, no mínimo, 14 pessoas. Ela nasceu, segundo os biólogos do instituto, 2500 anos antes da Era Cristã e tem resistido, junto aos outros exemplares da reserva, ao avanço da civilização e das culturas de café e de cana.

Espero sinceramente que as palavras do poeta Menotti Del Picchia não se tornem reais quando diz:


Menotti Del Picchia

“Cacique Jequitibá: no festim de tua morte,

Teu inimigo branco fará do teu corpo

A trave de seu teto,

O berço de seu filho,

E a caixa do seu ataúde…”

Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *