Norantea guianensis

rabo-de-arara, flor-de-papagaio, norânteia

Está ai uma das tantas plantas nativas pouco difundidas entre os paisagistas. Apesar de chamativa, especialmente graças a sua inflorescência que chega a um metro de comprimento, é raramente vista nos jardins. Os beija-flores e outros pequenos pássaros, são atraídos pelo néctar dessas flores de cor vermelho-alaranjado, com forma de espiga.

Vive, muitas vezes, de modo epífito na copa das árvores altas, onde ele pode chegar atamanho considerável e competir com a folhagem de seu hospedeiro. No entanto pode ser usada como uma forração exuberante ou como trepadeira, associada com árvores de médio a grande porte. Fernando Chacel (1931 – 2011) a usou muito em seus projetos, em áreas de restinga, no Rio de Janeiro. Embora rústica não suporta frio.

Confira a ficha completa na Biblioteca de Espécies.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *