Mancha-parda: doença pode causar danos nas plantas

Já é de senso comum, seja você um
jardineiro iniciante ou experiente, que algumas medidas são necessárias para
proteger as plantas de várias pragas e doenças que podem surgir na horta ou
plantação. Falamos de várias aqui no blog, mas hoje o post é sobre uma em
especial que é mais comum na região sul do país: a mancha-parda. Confira!


Causada pelos fungos do Bipolaris, a mancha-parda infecta
principalmente gramíneas (capins, gramas ou relvas), causando danos ainda em arroz,
coqueiro, pastagens, girassol, milho, coco, lupino, pândano, confete, dália,
entre outras plantas.


Percebeu que
o estrago pode ser grande, né? Por isso que vamos te explicar como identificar
e o que fazer para evitar a proliferação dessa doença no seu espaço verde. De
início, é importante saber que a doença afeta as
folhas, hastes, flores e frutos.

Geralmente, o que se percebe são
manchas irregulares, secas e marrons nas folhas e frutos, de 3-5 mm de
diâmetro, se tornando maiores quando há umidade relativa elevada. Essas lesões
nas folhas causam a queda, provocando o enfraquecimento da planta, mesmo que
seja em uma folha apenas. Enquanto isso, nos frutos, as manchas são
ligeiramente circulares, marrom-avermelhadas, de 1-2 mm de diâmetro, o que
deprecia seu valor comercial.


Os ramos apresentam sintomas semelhantes: são
pequenas lesões alongadas e
escuras, que podem aumentar de tamanho até circundar completamente o ramo,
provocando a morte.


A medida mais comum para controle da doença são as
podas periódicas dos ramos infectados,
os quais devem ser retirados e queimados. Mas você sabia que a doença pode ser espalhada principalmente devido à ação do evento, mas
também por meio de sementes e mudas infectadas? Até mesmo gotas de chuvas ou de
rega podem servir como meio de transporte, infectando plantas próximas.

Alguns cuidados
que você deve tomar: procurar comprar apenas mudas e sementes saudáveis e a
rega deve ser feita sobre o solo ou substrato, e não nas folhas.

 

Por fim, o
controle pode ser realizado com aplicação de fungicidas, como a calda
bordalesa, mas de forma preventiva, e não para curar, já que altas infecções
são difíceis de controlar.

 

Ficou com alguma
dúvida? Escreva nos comentários, juntos podemos proteger as plantas de pragas e
doenças! 🙂

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *