Pés de manacá secaram. O que fazer?

Nome: Paulo Faria

Pergunta:
Plantei em março de 2020 – 10 manacás da serra no chão em covas de 50×50 e com excelente drenagem. Eles vinham florindo e robustos, todos com cerca de 1,20 m de altura. Tudo vinha bem até final de dezembro e início de janeiro aqui na cidade do Rio de janeiro. (o verão está escaldante). As plantas pegavam grande parte do sol diariamente. Aí vieram os fatos. Inicialmente, algumas folhas amarelaram por inteiro e, posteriormente, reduziram de tamanho, murcharam e caíram todas. Hoje os 10 pés estão totalmente secos. Por curiosidade retirei um deles e observei que eles foram cultivados. Antes de comprar, em uma terra avermelhada parecendo barro. Este barro fez um torrão DURO e excessivamente úmido. Tentei aliviar, mas foi tudo em vão. Vou novamente comprar outras mudas logo após o verão. Pergunto se eu deveria retirar este “barro” utilizado antes de plantar ou existe outra técnica? Interessante que mais dois amigos também compraram as mudas no mesmo local e ocorreu a mesma coisa. Ou seja, secaram. As regas foram mantidas regularmente, pois inclusive comprei o aparelho de avaliar a umidade do solo. Gostaria, se possível, receber algumas sugestões. Obrigado Paulo Faria – Rio de Janeiro

Resposta:
Olá, Paulo. Este substrato super argiloso é usado como forma de manter a umidade nas raízes dos vasos por mais tempo, já que há maior retenção de água nos microporos da argila, comparando com uma terra mais solta, mais leve. Você não precisa trocar a terra do torrão nem desfazer o torrão para tirar este substrato. O que pode te ajudar a recuperar estas plantas, caso ainda estejam vivas, é regar mais frequentemente, talvez instalando um sistema de irrigação, acionado quando o solo estiver seco. Lembre também de adubar as suas plantas, pois sem a devida nutrição e reposição dos nutrientes elas acabam ficando fracas, definhadas e sem florescer novamente.

Esperamos ter ajudado!
Um abraço,
Equipe Jardim das Ideias
*colaborou com a resposta a engenheira agrônoma Vânia Chassot Angeli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *