Combate à poluição e a importância do meio ambiente

Combate à poluição e a importância do meio ambiente

No dia 14 de agosto é celebrado o Dia do Combate à Poluição. O objetivo da data é alertar a população sobre os problemas ambientais que são enfrentados atualmente, além buscar medidas para conter a degradação do planeta. Para comentar sobre a importância da preservação ambiental para combater a poluição, convidamos Lara Lutzenberger, ambientalista e Presidente da Fundação Gaia – Legado Lutzenberger.

Árvores e a contribuição na limpeza do ar

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a poluição do ar provoca a morte de mais de 50 mil pessoas por ano no país. Nesse sentido, as árvores têm fundamental importância. Pesquisadores da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, constataram que folhas de árvores conseguem absorver mais da metade do material particulado presente na atmosfera. Uma notícia animadora, já que quanto menor a concentração de material particulado, menores são os riscos de doenças cardiorrespiratórias.

Plantas usadas na recuperação de rios e lagos

Conforme o pesquisador português José Antônio Mendes, macrófitas aquáticas – plantas de água doce nativas no Brasil e presentes em lagos e banhados – podem ajudar no processo de purificação das águas e no controle da poluição de rios e lagos. A Embrapa menciona aguapé (Eichhornia crassipes), alface-d’água (Pistia stratiotes), orelha-de-onça (Salvinia auriculata) e taboa (typha domingensis) como plantas despoluidoras, pela sua capacidade de retirar da água nutrientes e substâncias tóxicas.

Lara Lutzenberger comenta: “O ambientalista José Lutzenberger fez diversos trabalhos paisagísticos e de tratamento de efluentes usando essas espécies já nos anos 70. No Rincão Gaia, sede da Fundação Gaia – Legado Lutzenberger, faz-se o manejo dessas plantas, inclusive usando-as no apoio nutricional de aves e suínos. No Jardim Lutzenberger, na CCMQ, também há exemplares para visualização.”

Agrotóxicos e a contaminação do solo

De acordo com Lara Lutzenberger, o uso indiscriminado de agrotóxicos tem produzido contaminações sistêmicas no solo, água, ar e na saúde direta dos trabalhadores rurais. Mesmo com controles mais rigorosos sobre o manejo das embalagens, formas de aplicação e cuidados na colheita, segue o problema da alta toxidade desses produtos.

Felizmente cresce o conhecimento e a prática de formas de cultivo regenerativos, orgânicos e biodinâmicos, que produzem alimentos mais saudáveis, nutritivos, preservam a biodiversidade e a qualidade de vida dos próprios produtores e priorizam o mercado regional, minimizando também a poluição decorrente do transporte e refrigeração por longas distâncias. O consumidor contribui substancialmente nesse processo através de suas opções de consumo. “Todos ganhamos quando priorizamos a aquisição de nosso alimento junto ao produtor orgânico regional”, finaliza a ambientalista Lara Lutzenberger.

Cuidar do meio ambiente é tarefa diária. No entanto, no dia de Combate à Poluição vale a pena refletir um pouco mais e mudar algumas ações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *