Bismarckia nobilis

 Palmeira-bismarckia , palmeira-de-bismarck, palmeira-azul

Esta palmeira, apesar de sua adaptabilidade a climas e altitudes, prefere ambientes subtropicais secos, suportando ventos e vegetando bem inclusive em solos de baixa fertilidade. Majestosas, apoiam sua coroa foliar em um único tronco de 35 centímetros de diâmetro que mostra o recorte da base das folhas velhas. Solta as novas, palmadas e plissadas, com 1,5 metros de lado a lado que, graças ao tom cinza azulado, luzem, mesmo a noite, um brilho prateado singular. Os pecíolos possuem pequenas escamas de cor marrom e por ser espécie dióica há exemplares femininos e masculinos com floração muito similar.
Seu nome é uma homenagem ao conde Otto Leopold Edvard von Bismarck-Schönhausen (1815 – 1898) diplomata e político prussiano, responsavel pela unificação da Alemanha quando primeiro-ministro do reino da Prussia.

Desde o ponto de vista cenográfico deve ser plantada em pontos de evidência e, quando usada em grupos, contemplado um bom espaço para seu desenvolvimento e observação das silhuetas que o conjunto desenha.

Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *