Aspargo-pluma, leveza e beleza para o jardim

Aspargo-pluma, leveza e beleza para o jardim

Com nome científico Asparagus densiflorus e também conhecido como aspargo-rabo-de-gato, o aspargo-pluma pertence à família Asparagaceae. Como sua nomenclatura sugere, o aspargo-pluma é uma planta que possui vários ramos em forma de espinhos que unidos aparentam uma pluminha. Além da folhagem verde, a planta desenvolve flores brancas e perfumadas, que agregam no design, junto com os seus frutos redondos e vermelhinhos, que aparecem nas estações mais quentes. Mas atenção: o fruto do aspargo-pluma não pode ser comido, já que é tóxico quando ingerido.

Para cultivar em seu jardim, escolha um local que a sua planta não fique apertada, atente-se a luz do local que escolhido – deve ser à meia-sombra, em solo fértil, arenoso e leve.

Um dos cuidados mais importantes é a quantidade de água. Então, antes de regar sua plantinha, coloque o dedo no solo. Se estiver úmido, não precisa mais regar. Ela se adapta fácil ao clima, seja sol, chuva ou frio, mas se puder, evite a exposição exagerada da sua planta a geadas.

De origem da África do Sul, essa plantinha se tornou a preferida em jardins de todo o mundo, por ser fácil de cultivar, além da sua beleza ornamental que enfeita os jardins.

Gostou do nosso post? Aproveite para conhecer mais sobre jardinagem na página Jardim das Ideias, curta e aproveite para compartilhar com seus amigos! Até o próximo!

Um comentário
  1. Tenho um morador que com base nesta informaçao de toxicidade, quer arrancar a planta. Ela é toxica para quem?
    humanos? animais? ambos?
    Agradeceria uma explicação.
    Atte,
    Jacqueline

    1. Olá, Jacqueline. Inúmeras plantas de meia-sombra possuiem substâncias tóxicas quando ingeridas por humanos, animais e até insetos. É uma estratégia das plantas contra a herbivoria, assim naturalmente conseguem perpetuar a espécie. Recomendamos atenção aos locais com crianças e animais de estimação principalmente, mas esta planta em específico, ela não é tão convidativa a ser comida, por ser espinhosa, pelo formato das folhas. Esperamos ter ajudado. Vânia Chassot, Engenheira Agrônoma

Deixe um comentário para JACQUELINE Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *