Árvores Nativas do Rio Grande do Sul

Os gaúchos, na região sul do Brasil, vivem em um território com pouco relevo, mas com uma vegetação característica


Paineira-rosa

 Nesses pampas, figuras do tamanho de Mario Quintana, Moacyr Scliar, Iberê Camargo e Nelson Gonçalves, encontraram inspiração para a arte que os consagrou. Nos campos e florestas às vezes planos, outras suavemente ondulados, surge uma vegetação representada por pinheiros e espécies de folhas decíduas que vegetam em regiões com as temperaturas mais baixas do inverno brasileiro, chegando a sofrerem geadas e até, ocasionalmente, nevascas.


Mario Quintana

Esse clima, com ventos como o pampeiro, de fortes rajadas seguidas de chuvas ou do minuano, que sopra do sudoeste, trazendo muito frio, desenvolveu um espaço biológico com características típicas que o diferenciam do resto do país.

Este é um dos motivos pelos quais o paisagismo gaúcho use árvores próprias, essências indígenas que há centenas de anos crescem espontaneamente no Rio Grande do Sul, facilitando as tarefas de manutenção, como podas, adubação e controle de pragas e doenças.

Deixo a seguir uma lista que pode servir de auxilio para os amigos paisagistas do sul:

NOME BOTÂNICO

NOME POPULAR

ALTURA

FENOLOGIA

COR

Allophyllus edulischal-chal6 a 10mprimaverabranca
Apuleia leiocarpagrápia20 a 35minvernocreme
Bauhinia forficatapata-de-vaca5 a 9mverãobranca
Campomanesia guazumaefoliasete-capotes6 a 10mprimaveracreme
Casearia sylvestris
chá-de-bugre4 a 6minvernocreme
Cedrela fissilis
cedro20 a 35invernocreme
Chorisia speciosapaineira-rosa15 a 30mverão/outonorosa
Compomanesia xanthocarpaguabirobeira10 a 20mprimaverabranca
Cordia trichotomalouro-silvestre20 a 30moutono/invernocreme
Cupania vernaliscamboatá10 a 22moutonoamarela-esverdeada
Cybistax antisyphiliticaipê-verde6 a 12mverãoamarela-esverdeada
Erythrina crista-gallicorticeira-do-banhado6 a 10mprimavera

vermelha

Erythrina falcatacorticeira-da-serra20 a 30invernovermelha
Eugenia involucratacereja-do-rio-grande5 a 8mprimaverabranca
Eugenia pyriformesuvaia6 a 13mprimaverabranca
Eugenia uniflora
pitangueira6 a 12mprimaverabranca
Ilex paraguariensiserva-mate4 a 8mprimaveracreme
Jacaranda puberulacarobinha4 a 7mprimaveraroxa
Lonchocarpus muehlbergianusembira-de-sapo15 a 25mprimaveralilás
Luehea divaricataaçoita-cavalo15 a 25mverãorosa
Mimosa scabrelabacatinga5 a 15minvernoamarela
Myrcianthes pungensguabiju10 a 15mprimaveracreme
Myrciaria tenellacambuí4 a 6mprimaverabranca
Nectandra lanceolatacanela-branca15 a 25mprimaverabranca
Nectandra rigidacanela-seiva15 a 20mverãobranca
Parapiptadenia rigidaangico20 a 30mprimaveraamarela
Parkinsonia aculeatacina-cina5 a 10mprimaveraamarela
Patagonula americanaguajuvira10 a 25mprimaverabranca
Peltophorum dubium
canafístula15 a 25mverãoamarela
Pithecolobium tortumtataré6 a 12mprimaveracreme
Poecilanthe parviflora
coração-de-negro15 a 25mprimaverabranca
Rapanea guianensis
capororoca4 a 8minvernorosa
Schinus mollearoeira-periquita4 a 8mprimaveraamarela-esverdeada
Senna macranthera manduirana 6 a 8mverão/outono amarela
Senna multijuga cassia-aleluia 6 a 10m verãoamarela
Tabebuia alba ipê-da-serra 20 a 30minverno amarela
Tabebuia avellanedae ipê-roxo 20 a 35minverno rosa
Tabebuia umbellata ipê-amarelo-do-brejo10 a 15m inverno/primavera amarela
Trema micrantha grandiúva 5 a 12mprimavera amarela-esverdeada

 Autor: Raul Cânovas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *