10 pimentas que você precisa experimentar

As pimentas sempre dividem opiniões. Afinal, não é todo mundo que curte o sabor mais picante deste tempero, não é mesmo? Apesar disso, ela é muito usada na culinária brasileira por causa da sua enorme variedade.  Algumas são levemente picantes e outras bastante ardidas, o que vai definir isso é a presença de capsaicina que está nas sementes, polpa e pele. Você sabia que retirar as sementes e as nervuras diminui a ardência? Agora se você está interessado em preservar o sabor natural das pimentas, não pode deixar de ver nossa lista recheada de variedades desse tempero. Confira: 
Mirasol (C. annuum): popular no Peru, também é encontrada no México, onde a versão seca é chamada de guajillo. É usada verde amarela ou quando está madura. Na culinária vai bem com carnes, leguminosas e vegetais.
 
Guajillo (C. annuum): esta pimenta mexicana é longa estreita, de casca fina e bem ácida. Após ficar de molho, é processada para integrar enchiladas ou para ser picada em ensopados. 
 
Serrano (C. annuum): esta pimenta mexicana é verde-clara, cilíndrica e crocante, de sabor concentrado, fresco e gorduroso e sementes e nervuras muito ardidas. Quando madura, fica bem vermelha e é usada em molhos.
 
Pimenta-de-calena (C. annuum): a fruta é fina e alongada, vermelho-vibrante quando madura. Cresce no mundo todo e o sabor é azedo, um pouco defumado e forte.
 
Pimenta mexicana (C. annuum): conhecida como “cherry bomb”, varia de verde a vermelho-brilhante e é ótima para picles e para assar, além de ser servida em molhos e saladas.
 
Coreana (C. annuum): esta pimenta é curva e em tom verde-brilhante. Quando fresca, é cozida com peixe, carnes, ensopados de legumes, em refogados, recheada ou frita.
 
Tailandesa (C. annuum): fina e de cor vibrante, verde ou vermelha, tem ardência duradoura. Pode ser utilizada em pratos com curry e refogados.
    
Rocoto (C. pubescens): natural dos Andes, os rocotos são estufados e usados frescos em molhos ou como legumes, recheados com carne e queijo.
 
Jamaicana (C. chinense): vermelha e brilhante, esta pimenta caribenha tem polpa fina e sabor doce/ardido. É usada em molhos, picles e pratos com curry.
 
Pimenta-calabresa: é a versão seca da pimenta vermelha, originária da Itália. Se preferir um sabor mais suave, retire as sementes.
Qual tipo de pimenta você costuma usar nos seus pratos? Conte pra gente! 
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *