Poda de formação

Poda de formação

Podar árvores e arbustos não é algo se possa fazer de qualquer jeito. Se a poda não for bem executada, pode prejudicar seriamente a planta, reduzindo seu crescimento, floração, produção de frutos, causar deformações e até torna-las mais vulneráveis a pragas e doenças.

A poda é um processo que permite controlar a evolução, a configuração e a produção da planta. Todas carecem de diferentes podas, bem como uma mesma planta poderá precisar de formas diferentes de poda ao longo de seu ciclo de vida. Deseja saber mais sobre esta prática e seus principais tipos? Acompanhe este post até o fim e saiba mais.

É importante lembrar que não são todas as plantas que precisam ser podadas periodicamente, algumas vezes elas só precisam de intervenção quando começam a crescer mais do que o previsto. Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre as podas de formação e de manutenção.

Poda de formação

A poda de formação é realizada desde o primeiro ano de vida de uma planta. A partir do segundo mês após o plantio já é indicado que seja executada pela primeira vez. Esta prática tem como objetivo dar uma forma básica de tronco e ramos, a fim de ter uma distribuição equilibrada e que traga sustentação para a planta.

Passo 1: identificar quais são as hastes principais, os primeiros ramos de formação, que darão sustentação à planta e formarão a copa da árvore. Esta copa deverá ficar a cerca de 50 centímetros do chão;

Passo 2: eliminar todos os ramos que existem abaixo desta formação principal, para que não haja competição com a haste central pela distribuição de nutrientes. Para que esta copa se desenvolva em formato de taça, é necessário equilibrar os ramos de forma equidistante entre si. O ideal é que tenha entre 3 e 4 ramos bem posicionado para que a copa possa formar-se desta maneira;

Passo 3: agora que restam somente os 3 ou 4 ramos principais, você precisa que eles se multipliquem nos próximos anos e cada um deles vire outros dois e assim sucessivamente. Para conseguir isso você irá podá-los, meça entre 15 e 20 centímetros do caule, encontre a gema (formação da brotação) com segmento mais horizontal e realiza um corte diagonal (conhecido como bizel);

Passo 4: após a poda, é interessante selar o corte, uma vez que ele é uma espécie de “ferida” e pode estar suscetível a contaminações. No vídeo abaixo você aprende como fazer uma pasta biodinâmica que protege os galhos das árvores:

Gostou das dicas? Ficou com alguma dúvida? Coloque nos comentários e não se esqueça de seguir a nossa página no Facebook para mais conteúdos bacanas.

Um comentário
  1. Show vou usar essa pasta nos meus Bonsai.😍😁😁👍👍

Deixe uma resposta para Gislene Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *