Planta fantasma: tudo que você precisa saber para cultivá-la em seu jardim

Planta fantasma: tudo que você precisa saber para cultivá-la em seu jardim

Originária no México, a Graptopetalum Paraguayense — também conhecida como Sedum weinbergii, planta madrepérola e planta fantasma — pertence à família Crassulaceae, sendo ela perene, ereta, ornamental e que atinge uma altura máxima de 20 centímetros. O seu visual é muito semelhante ao de uma rosa, com diversas pétalas ornamentadas.

A planta tem por característica o crescimento de suas folhas a partir de seu centro, tendo habilidades de mudança de cor, deixando esta espécie ainda mais interessante. As cores podem variar de acordo com a presença de luminosidade, sendo amarelo-rosado a pleno sol, e azul-esverdeada na meia sombra.

O seu nome foi dado por causa do pó fosco que fica em torno de suas folhas, dando à planta uma aparência fantasmagórica. Esta família, em geral, causa muita confusão entre as suas espécies por possuir diversas plantas semelhantes, como a Graptopetalum, Pachyphytums e Echeveria.

Como cultivar

A planta fantasma suporta diversos climas, como tropical, oceânico, mediterrâneo, semiárido, equatorial e subtropical. Ela também é resistente ao frio, contanto que as temperaturas não sejam muito baixas ou tragam geadas.

Para garantir que a planta se adeque corretamente ao seu jardim, faça uma mistura de substrato, areia, turfa e um pouco de adubo. Muito cuidado ao regar, pois encharcar o solo faz com que a planta apodreça. Regue somente quando o solo estiver seco.

Garanta a adubação com fertilizantes no início da primavera, isso faz com que a planta se desenvolva da maneira certa. Como suas hastes são delicadas e frágeis, a indicação é que você tenha certeza do local onde ela será plantada, já que o manuseio periódico pode danificar a planta.

Sua multiplicação se dá através de sementes e também por mudinhas que se formam quando as folhas se desprendem da planta e caem ao solo. Elas acabam com o passar do tempo criando raízes e se desenvolvendo.

Gostou das dicas? Acompanhe o nosso blog para ler diversas outras! Siga as nossas redes sociais para receber todas as novidades. 

Um comentário
  1. Muito útil as dicas de cuidados com essa planta! A minha está plantada em somente terra e lá vai se desenvolvendo! Você tem algum adubo para indicar? Desde já obrigado!

    1. Olá, João Roberto. Os melhores adubos são os orgânicos, feitos a partir de compostagem. São acessíveis, super completos em nutrientes e ainda ajudam na sustentabilidade ambiental. Converse com seus grupos de amigos e descubra se alguém tem húmus de minhoca ou biofertilizante para suas plantas. Logo após aplicar na terra, molhe com abundância. Com a adubação as plantas têm estímulos para florescer, crescer de forma saudável e resistir às pragas de jardim. Vânia Angeli, Engenheira Agrônoma

  2. Olá! Tenho já há algum tempo essas plantas que por sinal gostei muito… comecei comprando 1 potezinho com 3 mudinhas… depois de 6 anos, hoje tenho 2 jardineiras repletas dela, mais 4 blocos de concreto com 3 furos cheinhas delas… minha duvida: posso vender mudas? Qual valor posso cobrar, se puder?

    1. Olá, Fabiano! Que legal saber que seu amor pelas plantas está crescendo a cada dia, elas respondem assim, gerando mais e mais mudinhas , sinal que estão sendo bem cuidadas. Quanto ao comércio de plantas há legislação específica sobre, porém sabemos que em pequena escala, de forma direta, quase que amadora, estas regras não se aplicam. O que você pode fazer, agora no início, é criar uma rede de contatos, que sejam simpatizantes das espécies que você produz e aos poucos, ir se profissionalizando no assunto. Sobre o valor, cobre pelo menos 30% a mais do custo que você teve com os materiais, assim terá uma margem de lucro. Esperamos ter ajudado! Vânia Angeli, Engenheira Agrônoma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *